domingo, 10 de agosto de 2014

CULTIVO DE COGUMELOS EM ÁRVORES VIVAS



PLEUROTUS OSTREATUS:

Hiratake / Houbitake e outros... inoculados em árvores vivas:

Vc pode inocular ( plantar ) cogumelos em árvores vivas, em pé...basta fazer dois ou mais cortes transversais e não muito profundos  num dos lados do tronco da árvore, com espaçamento de 40 a 50 cm um corte do outro, colocar semente em composto onde foram feitos os cortes e isolar com uma fita adesiva ou um filme plástico ao redor do tronco onde foram feitos os cortes. Pronto está plantado, inoculado e dentro de alguns meses vc pode retirar a proteção e os cogumelos logo aparecerão.
Não faça cortes muito profundos, faça uns 5 ou 6 cm de profundidade se a árvore for de 20 a 40 cm de diâmetro, se vc fizer corte profundo, vai matar a árvore ou ela pode tombar com vento forte.

Os cortes que vc vai fazer com a motosserra servem para interromper o fluxo de seiva num trecho do tronco da árvore, fazendo com que uma ou duas seções do tronco fiquem moribundos, quase sem vida e o restante da árvore continue vivo.
Deste jeito vc vai ter cogumelos até o dia que a árvore morrer...se morrer. O fungo do cogumelo vai se proliferar somente onde não há corrente da seiva e vai produzir cogumelos somente onde colonizou, mas a árvore continuará a crescer, com sua partes vitais preservadas.
Vc pode plantar ou inocular diversos cogumelos da madeira assim, mas como sempre falo as árvores tem que serem de folhas largas, sem leite e sem resina.




Mais informações e sementes:


roland.weingartner@yahoo.com.br
08/2014

sábado, 17 de maio de 2014

CULTIVO DE COGUMELOS COM OS DESPERDÍCIOS AGRÍCOLAS :


Palhas da lavoura de milho:

Nas lavouras deste nosso Brasil colhe-se somente os cereais, as palhas e talos das plantas secas são geralmente trituradas por colheitadeiras e jogados de volta na lavoura servindo de cobertura morta e posteriormente vira matéria orgânica pela ação de fungos de inúmeras espécies, mas sem aproveitamento.





 Para o cultivo de cogumelos usa-se todo o pé de milho ( tudo seco ), folhas, flores, talos, gomos. sabugos e alguns grãos de milho que a colheitadeira deixou passar, servindo de nutriente ou nitrogênio para uma melor produção de cogumelos.



Estas palhas e talos secos, podem ser usados no cultivo de diversos cogumelos que se alimentam de celulose e fibras, como o Pleurotus Ostreatus e sua grande família.
O desperdício é enorme, para UMA tonelada de milho colhido é gerado e desperdiçado TRÊS toneladas de palhas, gomos, talos e sabugos...tudo vai fora, volta para a lavoura e vira adubo com o tempo, depois que os fungos degradaram todo o material.
Só par ter uma ideia do desperdício, com 3 toneladas de palhas, talos, gomos e sabugos triturados grossos, ajustados com umidade ideal para o cultivo de cogumelos, de 50 a 65% de água, vão pesar mais de 6 toneladas e com tecnologia adequada, são capazes de produzir 1500 kg de cogumelos ( proteína não animal ).
1500 kg de cogumelos, gera uma receita bruta de no mínimo R$ 20.000,00....ou seja o que
era lixo vira dinheiro e muitas receitas saudáveis e saborosas.
 

Além disso depois de produzir os cogumelos, quando o composto de palhas estiver totalmente exaurido, se torna um excelente adubo orgânico, podendo ser vendido em sacos ou usado na própria lavoura novamente evitando a compra de caríssimos e prejudiciais adubos químicos.

Precisamos inovar, otimizar os resíduos, agregar valor na agricultura, modernizar e finalmente ser mais arrojado.
Os materiais estão aí, sendo desperdiçados sistematicamente pelos agricultores e duas ou três vezes por ano.

roland.weingartner@yahoo.com.br 

Fone:42- 8408-6445
05/2014

sexta-feira, 16 de maio de 2014

CULTIVO DE COGUMELOS EM RESÍDUOS AGRÍCOLAS E FLORESTAIS

CULTIVO DE COGUMELOS QUE SE ALIMENTAM DE CELULOSE

O Brasil é um dos maiores produtores agrícolas do planeta e por consequência da atividade, gera um enorme volume de resíduos agrícolas e que muitos deles são simplesmente jogados de volta nas lavouras pelas colheitadeiras, mas podem e devem ser aproveitados ou para gerar energia de biomassa ou para cultivar cogumelos que se alimentam de celulose, transformando resíduos agrícolas em proteína não animal.
São inúmeros os resíduos com celulose gerados na atividade agrícola e florestal que são sistematicamente desperdiçados a céu aberto, por falta de informação, conhecimento e desenvolvimento de tecnologias para cada tipo de resíduo.

Alguns resíduos bem conhecidos e muitas vezes desperdiçados:

Palhas de cereais e gramíneas secas, palha de arroz, palha de milho seco ( o pé todo ) serragens diversas, folhas secas, etc, etc.




                                                    Folhas e gomos secos de milho

                                                                    Serragens diversas

                                           Palhas de cereais e gramíneas enfardadas ou não

                                                     Folhas secas de inúmeras árvores

                                                   Casca de arroz e de outros cereais






 



Informações e sementes:
roland.weingartner@yahoo.com.br

Fone: 42- 8408-6445
05/2014

domingo, 23 de março de 2014

CULTIVANDO COGUMELOS EM TORAS

O cultivo de cogumelos em toras de eucalipto ou outras madeiras de folha larga, não resinosas e não leitosas, é relativamente simples e de baixo investimento.
Muito comum em países como a Argentina, Canadá, estados Unidos e diversos países Europeus, assim como no oriente, como a China, Coreia e Japão.
Podem ser cultivados diversos tipos de cogumelos em toras, o Pleurotus Ostreatus ( shimeji, hiratake, salmão, golden, houbitake e outros desta espécie ), o shiitake, o ganoderma lucidum ( medicinal ) e muitos outros cogumelos da madeira.
O método é simples, conciste em fazer de 15 a 20 furos na tora ainda verde, de 20 em 20 cm no sentido longitudinal e 3 ou 4 linhas de furos ao redor da tora. Depois de furar, introduz-se as cavilhas colonizadas com o micelio do fungo desejado ( semente ), nos buracos com o auxilio de um martelo comum desinfetado com álcool.
Pronto, a tora está inoculada ( plantada ), agora é só empilhar na sombra, de um boa e grande árvore ou num galpão, cobrir as pilhas com uma lona plástica para não desidratar as toras em estiagem e nem encharcar em épocas de muita chuva.
As pilhas podem ter até 1,5 metros de altura, para facilitar o manejo, e as toras devem ter de 15 a 20 cm de diâmetro e comprimento de 1 metro.
As toras devem ser ainda verdes, com no máximo 10 dias após o corte das árvores, pois se estiverem com baixa umidade interna...não haverá propagação do micelio do cogumelo inoculado ( plantado ).



                                   Cavilhas 10x25mm colonizadas e prontas para "plantar"


                                                   Pacote com 500 cavilhas...incubadas.


                                        Introduzindo cavilha na tora...não precisa "parafinar"




As toras depois de inoculadas ( plantadas ), são empilhadas na sombra e cobertas com uma lona plástica, ou colocadas em barracões telados e cobertos, para colonizarem durante o tempo do cogumelo escolhido. Ex.: shiitake demora de 6 a 8 meses e o shimeji/hiratake/houbitake demora de 3 a 5 meses para uma colonização completa.



                                              Empilhamento comum em barracão telado.



Empilhamento comum, coberto com lona plástica, na sombra.


                                                 Empilhamento paletizado em barracão.


Empilhamento "fogueira" na sombra da  mata.

                                                      Empilhamento em galpão telado.

Existem vários métodos de empilhamento, mas cada fungicultor precisa desenvolver o seu método e adequar à sua mão de obra.
Depois que as toras estiverem totalmente colonizadas, com a casca "mole" e esbranquiçadas, é hora de produzir os cogumelos.
Existem alguns métodos de choque térmico, mergulhando as toras em água fria durante 24 a 48 horas, fazendo a rega constante da pilha por 24 horas...como se fosse uma grande chuva, e outros métodos de choque térmico.
As toras quando estão no ponto de produção, ficam com caroços, com  "pipoca"  como dizem, esta é a hora do choque térmico.


SHIITAKE










PLEUROTUS OSTREATUS ( shimeji, hiratake, houbitake, salmão e outros )











Todos estes cogumelos e muitos outros são cultivados em toras de eucalipto e outras madeiras de folha larga.
Este método de cultivo de cogumelos é usado em muitas partes do planeta, por ser fácil, barato e eficiente.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Esta página está sendo montada, portanto está incompleta ainda.

Dúvidas:

roland.weingartner@yahoo.com.br
fone: 42-8408-6445
06/2014




quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

SEMENTES DE COGUMELOS

SEMENTE DE COGUMELO:


Chamamos semente de cogumelo o meio em que o fungo se desenvolve, onde o micélio se adapte com facilidade, rapidez e que seja um meio natural...para ser 100% orgânico.
Pode ser em composto de serragem e nutrientes, para inocular troncos de eucalipto ou outras madeiras de folha larga, e sementes em pedacinhos de madeira ( cavilhas ) esterilizados e colonizados pelo micélio do fungo desejado, para cultivo de cogumelos em toras.

Faço sementes de cogumelos da madeira...shiitake, shimeji, hiratake, houbitake e eryngii, em serragem e nutrientes, em pacotes de 1 kg que servem para inocular até 300 kg de troncos e custa R$ 70,00 o pacote mais o correio para sua cidade.

Também faço sementes em cavilhas de eucalipto, na medida 10x25mm colonizadas com o fungo dos cogumelos acima citados. Estas cavilhas são em pacotes com 100 unidades, para inocular de 5 a 7 toras de eucalipto e custam R$ 30,00 o pacote com 100 cavilhas. Ou em pacotes com 500 cavilhas, para inocular de 25 a 35 toras de eucalipto e custam R$ 70,00 o pacote com 500 unidades, mais o correio para sua cidade.

Se a encomenda for numa quantidade maior tem desconto proporcional, quanto mais semente vc encomendar, mais desconto terá por kg de semente.

                                                 semente em serragem, embalagem de 1 kg


                                   semente em cavilhas, embalagens com 100 ou 500 cavilhas



Em pequena quantidade tenho à pronta entrega ou se for em maior quantidade, faço sob encomenda e entrego em até 40 dias.
Dependendo da quantidade encomendada, dou até 50% de desconto.


Vendas e informações:
roland.weingartner@yahoo.com.br
Fone: 42-8408-6445

06/2014


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

OS 4 SUPERPODERES DO SHIITAKE E SHIMEJI



Conheça os 4 poderes do shiitake e do shimeji

Poder número 1: ativa o botão da saciedade e diminui a fome

Dependendo da receita, um prato à base de shiitake ou shimeji pode ser considerado para lá de light. O alimento soma apenas 35 calorias, em média, para uma porção generosa de 100 gramas, 1 xícara e meia de chá ­- um valor menor que a metade da mesma quantidade de kani, por exemplo, que já é considerado pouco calórico. "Sem falar que o sabor intenso dele aciona uma espécie de centro de recompensa do nosso sistema nervoso. Ativado, esse centro manda uma mensagem de saciedade ao cérebro", explica Vanderlí Marchiori, nutricionista de São Paulo. Mas atenção: para conservar o baixo valor calórico do cogumelo não vale banhá-lo na manteiga (troque-a por uma colher de chá de margarina light) nem regar o risoto com uma lata de creme de leite.

Poder número 2: garante tanta proteína quanto a da carne vermelha (e engorda menos!)

Ele contém vitaminas, fibras e minerais, mas é o alto teor proteico o carro-chefe nutricional do cogumelo. Dá para dizer que quatro colheres de sopa de shiitake equivalem a um bife de carne vermelha pequeno. Tanto o shiitake como o shimeji contêm uma composição privilegiada de aminoácidos essenciais, aqueles nutrientes fundamentais para o metabolismo funcionar a pleno vapor e que o nosso corpo não sintetiza sozinho. Outra grande vantagem dele sobre a carne está na baixa quantidade de gorduras. Enquanto 100 gramas de contrafilé têm cerca de 13 gramas de lipídios, a mesma quantidade de cogumelo não ultrapassa um grama de gordura. Aí, não importa se você é fã da proteína para ganhar músculos ou se quer emagrecer comendo menos carboidrato, o ponto vai para o cogumelo.

Poder número 3: recruta o exército de defesa do organismo e previne a gripe e o câncer

Estimular o sistema imunológico está entre os principais benefícios terapêuticos dos cogumelos shimeji e shiitake e, só por isso, já podem ser considerados alimentos mais do que funcionais. Essa missão fica a cargo de uma substância chamada lentinan. "Segundo estudos da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, o lentinan seria capaz de estimular o funcionamento dos macrófagos, células responsáveis pela produção da interleucina, outra substância relacionada ao combate da gripe e de outras infecções, até mesmo as causadas por doenças crônicas como hepatite e Aids, além de prevenir o aparecimento de tumores cancerígenos", constata Jocelem Mastrodi Salgado, professora titular de nutrição da Escola Superior de Agricultora Luiz Queiroz (ESALQ/USP), em Piracicaba, interior de São Paulo.

Poder número 4: afina o seu sangue e afasta o mau colesterol

Ao lado de uma lista que inclui a cevada, o farelo de arroz, a alga marinha e o chá verde, os pesquisadores apontam o shitake e o shimeji como alimentos capazes de proteger o organismo contra doenças ligadas ao coração. Entre elas, o colesterol alto, a hipertensão, o enfarte e o diabetes. São duas as substâncias responsáveis pela tarefa: a eritadenine, que diminui a agregação de gordura no sangue (e que, em excesso, entope as artérias) e as betaglucanas, fibras que ajudam no controle do mau colesterol. Não é à toa que os chineses chamam os cogumelos de tônico da longevidade e os utilizam, há muitos anos, secos ou na forma de extratos como medicamentos para tratar o corpo e viver cada vez melhor.







                                                                            shiitake



                                                                           shimeji




roland.weingartner@yahoo.com.br
2013

COGUMELOS: ALIMENTOS PODEROSOS



Comuns na culinária japonesa, o shimeji e o shiitake ajudam a emagrecer e a prevenir algumas doenças
Muito usados na culinária oriental, o shimeji e o shiitake agora são considerados alimentos fundamentais à manutenção da saúde e da boa forma. Saborosos e versáteis, os dois cogumelos foram eleitos por uma série de estudos - a maioria da Universidade de Osaka - peça-chave na nutrição funcional devido à ação preventiva contra algumas doenças. Isso sem falar na ajuda que eles dão a quem está de dieta - como têm poucas calorias, podem ser incluídos tranquilamente em um cardápio light. Confira, a seguir, tudo o que essas delícias saudáveis são capazes de fazer pelo organismo.

Sem fome

Dependendo da receita, um prato à base de shiitake ou shimeji pode ser bem magrinho. Isso porque o alimento soma apenas 35 calorias a cada 100 gramas, o equivalente a uma xícara e meia de chá. Além disso, seu sabor intenso aciona uma espécie de centro de recompensa do sistema nervoso, que manda uma mensagem de saciedade ao cérebro. Mas atenção: de nada vai adiantar banhar o cogumelo em manteiga na hora do preparo. Para manter o baixo valor calórico, experimente cozinhá-lo com uma colher de chá de margarina light ou azeite.

Muita proteína

O shiitake e o Shimeji são fonte de fibras, vitaminas e minerais, mas seu carro-chefe é mesmo o alto teor proteico. Pode-se dizer que quatro colheres de sopa do cogumelo equivalem - acredite - a um bife de carne vermelha pequeno. Tanto o shiitake quanto o shimeji contêm grande concentração de aminoácidos essenciais, nutrientes indispensáveis ao bom funcionamento do metabolismo. Outra vantagem desses alimentos sobre a carne está na baixa quantidade de gorduras. Enquanto 100 gramas de contra filé possuem cerca de 13 gramas de lipídios, a mesma porção de cogumelo não ultrapassa um grama de gordura.


                                                                        shiitake


                                                                          shimeji








roland.weingartner@yahoo.com.br
2013